Apple

Apple torna-se a primeira empresa dos EUA a valer US$ 1.5 trilhão

Recorde foi registrado na quarta-feira. Empresas do setor de tecnologia estão com alta demanda no mercado acionário durante a pandemia de coronavírus.

As razões apontadas pelos investidores para o otimismo incluem a antecipação do lançamento de um iPhone 5G neste outono, sinais de fortes vendas na App Store e interesse no potencial de Macs baseados em ARM, com base em um relatório da Bloomberg ontem que disse que a Apple pode anunciar um ARM transição em sua conferência anual de desenvolvedores ainda este mês.

Ontem e hoje, o movimento da Apple foi contra a maior parte do resto do mercado, onde as ações dos investidores refletiram o medo de um ressurgimento global de coronavírus e a antecipação de más notícias do Federal Reserve dos EUA em um relatório divulgado hoje.

Capitalização de mercado significa essencialmente o número total de ações de uma empresa que está sendo negociada multiplicado pelo valor atual de negociação de uma ação naquela empresa, tornando-a a melhor medida disponível ao público do valor real da empresa.

A avaliação da Apple no mercado de ações teve uma recuperação dramática, apesar dos dois principais pânico dos investidores nos últimos dois anos: um na virada de 2018 e 2019, quando os relatórios informaram que as vendas do iPhone estavam em declínio, e outro quando a pandemia se enraizou na China, onde muitas das operações e parceiros críticos da Apple estão localizados, no início deste ano.

Apple se tornou a primeira empresa dos Estados Unidos a atingir o valor de mercado de US$ 1,5 trilhão na quarta-feira (10), depois de um dia de forte alta nos pregões. A empresa já havia sido a primeira a atingir a marca de US$ 1 trilhão.

Apesar da alta de quarta ter gerado recorde para a empresa e outras do setor, os pregões registravam baixas nesta quinta (11). O índice Dow Jones, que lista as maiores empresas dos EUA, caiu 6,7% enquanto que a Nasdaq, bolsa onde estão a maioria das empresas de tecnologia, teve queda de 5,27%.

O recorde foi seguido na quarta-feira por outras empresas do setor de tecnologia, como a Microsoft, que chegou bem próximo do valor de US$ 1,5 trilhão. A Amazon chegou a valer 1,3 trilhão, também um novo recorde para a empresa. A Alphabet, empresa dona do Google, passou a marca de US$ 1 trilhão pela primeira vez desde fevereiro.

As gigantes de tecnologia estão em alta no mercado acionário durante a pandemia, com muitos profissionais de escritório trabalhando em casa e demandando mais softwares e equipamentos.

O valor de mercado combinado dessas quatro empresas é próximo de US$ 5 trilhões.

Deve-se notar que a Apple iniciou uma campanha agressiva para recomprar algumas de suas próprias ações para reduzir suas reservas de caixa, que muitos investidores consideraram excessivas – mas uma medida da capitalização de mercado é responsável por isso.

Depois que os investidores ficaram preocupados em 2018 e 2019 com o excesso de dependência da Apple no iPhone, a empresa se esforçou para lançar mais serviços e produzir conteúdo que pudesse pelo menos parcialmente compensar a desaceleração do smartphone, o que também afeta seus concorrentes. Geralmente, os investidores estão satisfeitos com o progresso que viram.

Juntamente com esse impulso de serviços e conteúdo, antecipação de Macs baseados em ARM que podem oferecer vantagens competitivas em campo, otimismo sobre as perspectivas de um iPhone 5G e interesse no potencial de longo prazo das explorações de saúde e realidade aumentada da Apple a tecnologia parece ter dado aos investidores o suficiente para serem otimistas.

Dito isto, o mercado acionário de hoje não é senão volátil. O tempo dirá se o crescimento continua ou se os acionistas ficarão novamente nervosos.

Domingos Massissa

Estudante de Engª Informática, editor do portal amante do mundo NERD, onde engloba cinema tecnologia e Gamers.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Botão Voltar ao Topo