CiberSegurança

Gmail está bloqueando 18 milhões de e-mails maliciosos sobre a Covid-19 por dia

Outras 240 milhões de mensagens sobre o coronavírus são classificadas como spam diariamente.

Google revelou que o Gmail está bloqueando 18 milhões de e-mails maliciosos sobre o coronavírus e a Covid-19 por dia, além de 240 milhões de mensagens indesejadas (spam).

As mensagens identificadas pelos sistemas do Google são praticamente as mesmas que já renderam alertas de várias empresas de segurança. Em geral, os e-mails tentam se passar por recados da Organização Mundial da Saúde (OMS), órgãos do governo ou avisos de empresas sobre regras para home office.

Ainda de acordo com o Google, muitas das fraudes não são novas. Os hackers apenas repaginaram os mesmos e-mails fraudulentos que enviavam antes, trocando os temas habituais por mensagens ligadas ao coronavírus.

Segundo o Google, seu serviço bloqueia 100 milhões de mensagens maliciosas diariamente, em média. Os números indicam que o coronavírus e a Covid-19 já estariam em 18% de todos os e-mails fraudulentos que circulam na web.

Governo dos EUA emite novo alerta

O coronavírus e a Covid-19 vêm sendo usados por hackers em uma série de ataques contra empresas, órgãos governamentais e usuários.

Tonya Ugoretz, diretora-assistente da divisão de crimes digitais do FBI – a “Polícia Federal” dos Estados Unidos –, afirmou que o volume de denúncias de crimes de internet recebidas pelo órgão quadruplicou desde o início da pandemia e que “uma boa parcela” das denúncias tem relação com o vírus.

O governo norte-americano, por meio da Agência de Cibersegurança e Segurança de Infraestrutura (CISA, na sigla em inglês), emitiu um novo alerta na semana passada sobre ataques ligados ao coronavírus – desta vez especificamente para hospitais e entidades do próprio governo.

O alerta afirma que hackers estão roubando credenciais de Active Directory, uma tecnologia usada em redes Microsoft, e explorando uma vulnerabilidade corrigida na solução de rede privada virtual (VPN) da Pulse Secure.

Na Alemanha, o estado da Renânia do Norte-Vestfália retirou do ar um site que cadastrava empresas e indivíduos para o recebimento de um auxílio emergencial ligado à pandemia. Golpistas teriam criado sites falsos para roubar dados e realizar centenas de cadastros fraudulentos, desviado pagamentos que somariam algo entre 31,5 a 100 milhões de euros .

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo