Angola
Em Destaque

O Google Tradutor suporta novos idiomas pela primeira vez em quatro anos incluindo o uigur

Cinco novos idiomas para um total de 108

O Google Tradutor está adicionando suporte para cinco novos idiomas hoje, elevando o total para 108 idiomas. A medida marca a primeira adição de novos idiomas ao produto de tradução com inteligência artificial do Google em quatro anos, diz a empresa. Entre os novos idiomas adicionados estão Kinyarwanda, Odia, Tatar, Turkmen e Uyghur, e o Google diz que a população de fala coletiva dos cinco combinados é de cerca de 75 milhões de pessoas em todo o mundo.

Parte do problema do suporte a esses idiomas no passado foi encontrar uma grande quantidade de texto on-line para treinar seus modelos de aprendizado de máquina. Outra questão é contratar membros da comunidade humana em número suficiente para ajudar o Google a refinar os modelos, para que eles estejam no nível de idiomas mais falados. Mas a empresa diz ter visto progresso nos últimos anos em ambas as frentes.



“O Google Translate aprende com as traduções existentes encontradas na Web e, quando os idiomas não têm conteúdo em abundância, é difícil para o nosso sistema apoiá-los de maneira eficaz”, disse um porta-voz da empresa em comunicado. “No entanto, devido aos recentes avanços em nossa tecnologia de aprendizado de máquina e ao envolvimento ativo dos membros da comunidade do Google Tradutor, pudemos adicionar suporte para esses idiomas”.

A atualização começará a ser lançada para 1% dos usuários do Google Translate a partir de hoje, diz a empresa, com um aumento constante de toda a base de usuários do Translate no Android e iOS nos próximos dias. O Translate suporta tanto a tradução de texto quanto a tradução do site para os cinco novos idiomas e a entrada do teclado virtual para três deles – Kinyarwanda, Tatar e Uyghur.




De importância geopolítica particular é o apoio do Google à língua uigur, que é falada por 12 milhões de pessoas que vivem predominantemente na região autônoma de Xinjiang, no noroeste da China. Nos últimos anos, o governo chinês empreendeu uma campanha contra o grupo minoritário muçulmano turco que mora lá , envolvendo vigilância em massa, restrições de trabalho e viagens e detenção em “campos de reeducação” do Partido Comunista sob o pretexto de segurança nacional, causando alarme internacional sobre possíveis violações dos direitos humanos .

Domingos Massissa

Estudante de Engª Informática, editor do portal amante do mundo NERD, onde engloba cinema tecnologia e Gamers.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo